Bolívia continua avançando na era dos biocombustíveis

Projeto prevê iniciar a produção e comercialização de biodiesel em outubro de 2019

Cristóbal Roda, presidente do Ingenio Sucroalcoholero Aguaí, da Bolívia | Projeto prevê iniciar a produção e comercialização de biodiesel em outubro de 2019
Cristóbal Roda, presidente do Ingenio Sucroalcoholero Aguaí, da Bolívia, laureado Businessman Of The Year no MasterCana Award 2018

Logo que os empresários agroindustriais e autoridades do governo chegaram a um acordo para produzir etanol e misturá-lo às gasolinas, em uma proporção de até 12%, iniciaram-se na Bolívia as deliberações para um novo acordo destinado à produção de biodiesel.

O investimento comprometido pelo setor privado boliviano produtor de etanol alcança 1,6 bilhões de dólares (900 a cargo da agroindústria e 700 da indústria) e o acordo, em vigor a partir de dezembro de 2018, se refere a uma entrega de 80 milhões de litros anuais para uma mistura de 12% com as gasolinas consumidas na Bolívia, visando um crescimento a 360 milhões de litros em cinco anos.

A diferença do etanol, segundo Cristóbal Roda, um dos empresários que lideram o acordo, “para a produção de biodiesel será necessário um esforço maior de investimento porque não há umainfraestrutura prévia, mas isto não quer dizer que não exista a predisposição de seguir adiante com o processo de incluir a Bolívia na era dos biocombustíveis.”

O Ministro dos Hidrocarbonetos, Luís Alberto Sánchez, prevê iniciar a produção e comercialização de biodiesel em outubro de 2019. “A norma já está vigente – a Lei 1098 de aditivos vegetais – e agora devemos dar um passo gigante no cuidado do meio ambiente e na economia de divisas para a Bolívia”, disse ele.

A Bolívia tem 108 milhões de hectares das quais uns 55% são áreas de conservação. Aproximadamente 50 milhões de hectares estão aptas para a agricultura e, na atualidade, entre produção agropecuária e agrícola, somente se cultivam 2,5 milhões (de hectares).

Pelo protagonismo na implantação do programa “Bolívia na Era dos Biocombustíveis”, cujo primeiro passo foi a mistura do etanol na gasolina do país, Luís Alberto Sánchez e Cristóbal Roda e se destacaram no cenário internacional e receberam o MasterCana Award 2018, respectivamente nas categorias Ethanol Man Of The Year e Businessman Of The Year.

Luís Alberto Sánchez e Prof. Dr. Miguel Joaquim Dabdoub | Projeto prevê iniciar a produção e comercialização de biodiesel em outubro de 2019
Luís Alberto Sánchez e Prof. Dr. Miguel Joaquim Dabdoub, laureados no Prêmio MasterCana Award e Brasil 2018

A premiação, realizada pela ProCana Brasil em São Paulo, na noite de 29 de outubro do ano pasado, também homenageou o Prof. Dr. Miguel Joaquim Dabdoub na categoria “QUEM É QUEM NO SETOR – Pesquisa em desenvolvimento” por sua atuação no programa da Bolívia como consultor do Ministério de Hidrocarburos e da empresa Estatal de Petróleo – YPFB.

Por: Josias Messias
Com colaboração de Letícia Sainz e tradução de Décio Freitas

X