Biosev ganha com hedge de açúcar

A companhia sucroalcooleira Biosev, controlada pela multinacional francesa Louis Dreyfus Commodities e com ações negociadas na BM&FBovespa, praticamente completou o hedge das vendas de açúcar programadas para a atual safra (2013/14), disse ao Valor o CEO da companhia, Christophe Akli. A empresa conseguiu “precificar” seu açúcar a uma cotação média 24% maior do que as atuais.

Até 31 de março, a Biosev fixou preços de 1,456 milhão de toneladas de açúcar, o equivalente a 98% de sua exposição líquida (total da produção da commodity, menos o devido a fornecedores), a um preço médio de 45 centavos de real por libra peso, disse o executivo. “O mercado ainda não percebeu o poder disso, mas estamos muito melhores que os concorrentes”. Assim, essa política de hedge tende a reduzir o impacto da queda dos preços internacionais do açúcar no balanço da companhia.

A Biosev divulgou na terça-feira seus resultados no quarto trimestre do ano fiscal de 2013, período final da safra 2012/13 de cana-de-açúcar. No acumulado do ciclo, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado com o “valor justo” dos ativos biológicos da companhia foi de R$ 1,286 bilhão, alta de 13,3% em relação ao ano-safra anterior. A receita líquida da companhia totalizou R$ 4,152 bilhões, alta de 22% na comparação.

Também segundo Akli, a empresa conseguiu reduzir seu índice de endividamento para um “patamar confortável”. O índice de alavancagem (relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado) caiu de 4,1 vezes, no fim de dezembro, para 3 vezes em 31 de março. De acordo com o executivo, essa relação seria ainda menor, de 2,5 vezes, se considerados os cerca de R$ 700 milhões que a Biosev captou, em abril, com sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) que realizou na BM&FBovespa.

Por terem entrado no caixa neste segundo trimestre, os recursos do IPO não apareceram no balanço divulgado na terça-feira. Ao todo, a Biosev contou com um reforço de cerca de R$ 1,5 bilhão em sua estrutura de capital neste ano, segundo o diretor de relações com investidores da empresa, Marco Modesti.

X