Biomassa representa 8% da expansão da capacidade instalada. Mas pode cair para 4%

A fonte biomassa para geração de eletricidade, que inclui bagaço e palha de cana-de-açúcar e chegou a representar 32% do crescimento da capacidade instalada no país, deve encerrar 2016 com apenas 8% da expansão anual de capacidade instalada no Brasil. Esse índice, no entanto, pode cair para apenas 4% em 2021.

O alerta está no levantamento “Bioeletricidade em Números – Agosto de 2016”, produzido pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) por meio de dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Segundo o estudo, em termos de evolução anual de capacidade instalada, a fonte biomassa teve seu recorde no ano de 2010, com 1.750 MW (equivalente a 12,5% de uma Usina Itaipu), resultado de decisões de investimentos antes de 2008, quando o cenário era estimulante à expansão do setor sucroenergético.

Confira abaixo artes produzidas pela Unica que explicam a tendência:aneel 1

aneel 3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Clique aqui para ter acesso ao link do estudo da Unica na íntegra.

 

 

X