Biodiesel em larga escala

Pioneiro no Vale do Paraíba na plantação de girassol destinada à produção de biodiesel, o município de Resende pretende agora desenvolver uma projeto de agricultura familiar com o objetivo de incentivar os fazendeiros da região a preparar o solo para o cultivo da planta. Somente nos primeiros três meses deste ano, a cidade colheu cem quilos de girassol, que foram aprovados pelo governo do estado para o preparo do combustível.

O diretor de Desenvolvimento Rural de Resende, Edino Camoleze, se prepara para uma nova safra, mas adianta que, na última, as 4,5 toneladas de semente plantadas em um hectare, renderam 1.600 litros de biodiesel. A iniciativa foi patrocinada pela Secretaria estadual de Ciência e Tecnologia.

— Temos em nossa região, cerca de 30 fazendas que podem cultivar o girassol e ajudar a desenvolver uma fonte alternativa de combustível — considera o diretor.

Segundo Camoleze, com aproximadamente R$4 mil já é possível preparar um hectare para plantação das sementes. Ele adianta que o sindicato rural ficará responsável pelo cadastramento das famílias interessadas em obter o financiamento público.

Resende espera ainda poder capacitar outros municípios do Vale para o cultivo de girassol. Camoleze adianta que promoverá um seminário para discutir a questão.

A lei 11.097/2001, do Ministério de Minas e Energia, prevê que 5% do biodiesel sejam incorporados ao diesel comum até 2009. Além do girassol, a soja, o milho e a mamona também são consideradas plantas com vocação para produção do combustível.

X