Biocombustível: decisões da UE e EUA vão impulsionar mercado

Estados Unidos e União Européia (UE) tomaram decisões este mês para aumentar os mercados para combustíveis fabricados a partir de produtos agrícolas e com isso vão criar uma base para o aumento da demanda internacional por commodities rurais que possam ser transformadas em energia. Em artigo publicado nesta semana, o editor sênior da Dow Jones, Michael J. Strauss, diz que as decisões foram tomadas praticamente ao mesmo tempo e têm em comum o objetivo de baratear a produção dos biocombustíveis e o preço ao consumidor final.

Nos EUA, o Departamento de Agricultura do país (USDA), decidiu incrementar um programa existente para promover o que chama de aumento sustentado na produção de biocombustível. O programa premia aumentos de produção com pagamentos da Commodity Credit Corporation (CCC), um órgão pertencente ao USDA.

Antes, esse programa cobria os combustíveis fabricados a partir de produtos agrícolas, agora abrangerá também aqueles obtidos a partir da pecuária, como a gordura. De acordo com o USDA o programa tem o objetivo de encorajar uma produção adicional de biocombustíveis a longo prazo.

No outro lado do Atlântico, a UE aprovou uma lei que transforma de opcionais para obrigatórios seus objetivos ambiciosos de aumento do uso dos biocombustíveis. São eles: mistura de biocombustíveis na proporção de 2% em todo o combustível vendido a partir de 2005.

A partir de 2010, esse percentual vai aumentar para 5,75%. Os países que compõem a UE devem, a partir de agora, incorporar esses objetivos em suas leis internas. Eles terão a opção de estabelecer objetivos menores, mas terão que justificá-los usando critérios objetivos, ou seja, não poderão fazê-lo por razões que possam ser interpretadas como políticas. No ano que vem os europeus terão que dizer quais serão seus objetivos iniciais.

A Comissão Européia, braço executivo da UE, já disse que se tudo não correr dentro do esperado, as regras poderão ser ainda mais duras.

Para Michael J. Strauss, as medidas da UE por si só já vão exigir um aumento de produção de centenas de milhares de toneladas de produtos agrícolas. Mesmo que o desenvolvimento do mercado de biocombustíveis seja menor que o esperado, ele afetará os mercados de commodities de forma significativa à medida que atrairão novos fatores de formação de preço e novos participantes, conclui o editor. As informações são da Dow Jones.

X