Biocana discute inclusão social em reunião do Gedesp

As usinas associadas à Biocana (Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Energia) vão participar de uma discussão sobre o tema inclusão social, na reunião mensal do Gedespe (Grupo de Estudos em Desenvolvimento e Seleção de Pessoas), que será realizada dia 1º de Setembro, na Usina Batatais.

O assunto já havia sido abordado este mês, na última reunião do grupo, que reuniu 40 pessoas, entre analistas e gestores de RH de várias usinas. O encontro aconteceu no auditório da usina São José da Estiva, em Novo Horizonte, noroeste de São Paulo.

Na oportunidade, os gestores de usinas associadas à Biocana também receberam treinamento sobre Gestão por Competências, ministrado pela consultora do Instituto de Psicologia Comportamental de São Carlos, Marciliana Corrêa. A técnica, segundo a especialista, é relativamente nova no Brasil e poucas usinas implantaram a metodologia de trabalho.

“A Gestão por Competências ajuda a selecionar e desenvolver pessoas de modo que elas possam contribuir com os resultados que a empresa almeja. Através dela, conseguimos garantir uma contratação com mais sucesso e, dessa forma, reduzir o turnover, que é a rotatividade de colaboradores dentro das organizações”.

Os participantes do treinamento, entre eles profissionais de RH dos Grupos Cerradinho, Virgolino de Oliveira, Aurélio Nardini e São Domingos, tiveram aulas práticas e teóricas, onde aprenderam a aplicar a técnica durante as entrevistas de seleção, dinâmicas de grupo e testes comportamentais.

O tema do encontro do dia 1º de setembro foi despertado a partir da discussão sobre a lei que obriga as empresas a incluir em seus quadros de colaboradores pessoas portadoras de deficiência. Na última reunião, a presidente da Biocana, Leila Monteiro, apresentou o projeto que a entidade desenvolve em parceria com o Senai de Itu, visando a inclusão social.

O trabalho começou em 2007. A primeira etapça discutiu a elaboração Programa de Inclusão de Profissionais com Deficiências (PcD). Em seguida foi realizada reunião técnica com gerentes, supervisores e departamento de RH sobre a legislação que trata da classificação das deficiências e etapas do programa de inclusão na empresa.

“Na terceira etapa fizemos a identificação de postos de trabalho, sensibilização de funcionários da empresa para o trabalho com PcD´s (visual, auditiva, mental, física ou múltipla) e o levantamento Espacial da População de PcD`s. A próxima fase é a capacitação profissional”, disse Leila.

“A experiência da Biocana foi muito importante pois já existe um trabalho consolidado com resultados efetivos. O que ocorre é que as usinas estão em fases diferentes de implantação de projetos para a inclusão de PcD’s. Algumas já estão comunicando as vagas junto ao Sine e outros órgãos de encaminhamento de emprego. Temos que nos organizar para atender à exigência legal da melhor maneira”, disse a coordenadora do Gedespe, Ana Elisa Morelli.

X