BH vai sediar congresso internacional de biotecnologia de 6 a 8 de maio

As potencialidades da biotecnologia nos mercados nacional e internacional, no melhoramento genético de raças e sementes, no tratamento do câncer, as tecnologias limpas e baixo custo para tratamento de lixo e resíduos doméstico, hospitalar e industrial são alguns dos temas do congresso que movimentará Belo Horizonte a partir de segunda-feira, dia 6 de maio, quando será aberto o Bio Brasil 2002 – Negócios e Tendências em Biotecnologia, promovido pela Fiemg em parceria com a Comissão Européia.

Entre os grandes nomes da biotecnologia mundial estarão participando do congresso Jean Alexis Grimaud, do Instituto Pasteur/Ministério da Ciência e Tecnologia da França, Ivan Izquierdo da FAO (Chile) e Reiner Ludwig Gentz, do HSI – Human Genomic Science Inc. dos EUA – a segunda maior empresa do mundo em transformação de genoma em produtos comerciais, que detém 202 patentes internacionais em biotecnologia em está em fase final de pesquisas relativas a câncer e células-tronco.

Paralelamente ao congresso, estão agendadas 360 rodadas de negócios entre 120 empresas européias (Alemanha, Bélgica, Espanha, França e México) e latino-americanas para parcerias, transferência de tecnologia e aquisições em 20 áreas, como diagnóstico e terapia genética humana, tratamento ambiental, agrobiotecnologia, biofármacos, química fina, enzimas, equipamentos e automação de laboratórios. As empresas brasileiras inscritas têm maior interesse em distribuição e representação comercial, transferência de tecnologia, aquisição de equipamentos, joint-ventures e capital de risco, segundo pesquisa realizada pela Fiemg.

Apesar de ser considerada a indústria do futuro e fazer parte do cotidiano das pessoas, por exemplo na alimentação, saúde e meio ambiente são pouco conhecidas as possibilidades da biotecnologia que em 1993 movimentou US$ 8 bilhões, no mercado mundial, volume que saltou para US$ 20 bilhões em 99 e para US$ 47 bilhões no ano passado, segundo levantamento da Ernest & Young.

Concentrada nas regiões sul e sudeste, a bioindústria nacional tem faturamento estimado em R$ 5 bilhões/ano. São 354 empresas responsáveis por 28 mil postos de trabalho, sendo 5 mil empregos em Minas Gerais, onde estão 45% das indústrias do país voltadas para saúde humana, 43% em saúde humana, 60% das empresas com foco em tratamento de resíduos e 60% de produtos para área biomédica e de biomateriais (dados da Biominas).

Bio Brasil 2002 – Negócios e Tendências em Biotecnologia

Data: 6, 7 e 8 de maio, a partir de 9 horas

Local: Hotel Ouro Minas, Av. Cristiano Machado 4001

Informações: pelo fone (31) 3429-4972 ou fax (31) 3429-4974 com Ângela ou Heloísa.

X