Bertin e Guarani pedem crédito de imposto

O governo do Estado de São Paulo estuda três propostas pontuais para liberação adicional de pelo menos R$ 465 milhões de créditos do Imposto de Circulação sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) para os grupos frigoríficos Bertin e Minerva e à companhia sucroalcooleira Açúcar Guarani.

A escassez de crédito, provocada pela crise financeira internacional, levou as companhias a protocolar processos na Secretaria da Fazenda de São Paulo, requerendo aumento na liberação mensal dos recursos do ICMS retidos, acima dos atuais R$ 4 milhões autorizados. As empresas argumentam que os recursos são necessários para garantir seus investimentos.

O Grupo Bertin, que tem R$ 260 milhões em créditos a receber, pediu liberação de R$ 225 milhões, divididos em parcelas mensais de R$ 12,5 milhões. O Grupo Minerva solicitou em torno de R$ 120 milhões. Já a Açúcar Guarani, que anteontem anunciou o aporte de US$ 220 milhões de sua controladora francesa Tereos, também pediu a liberação de R$ 120 milhões ao governo paulista.

X