Baixo crescimento do setor sucroenergético intriga diplomatas reunidos na UNICA

“A superioridade energética do etanol de cana-de-açúcar é incontestável, assim como a gestão da indústria da cana brasileira. Agora, não entendo a falta de investimento no setor, considerando sua grande demanda.” A declaração do cônsul geral da Finlândia, Jan R. E. James, foi repetida por diversos participantes do 3º Encontro Anual de Cônsules e Embaixadores, último evento promovido em 2012 (13/12) pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) em sua sede em São Paulo. Quinze representantes de 12 países foram recebidos na entidade pelos diretores de Comunicação Corporativa, Adhemar Altieri, e Executivo, Eduardo Leão de Sousa. Em apresentações ao grupo, foram destacados aspectos ambientais da indústria da cana, a conjuntura do mercado doméstico e as perspectivas para a internacionalização do etanol, tema de grande interesse entre os convidados. O cônsul geral da Inglaterra, John Doddrell, mostrou-se curioso quanto à política de preços de combustíveis no Brasil, assunto que foi abordado por Altieri: “Explicamos que acima da dificuldade causada para o setor pelo preço da gasolina, congelado por imposição do governo desde 2005, está a ausência de uma definição do papel do etanol na matriz energética brasileira. É algo que prejudica o planejamento das empresas do setor.” Altieri citou ainda a campanha promocional “Etanol, o Combustível Completão,” realizada pela UNICA até 20 de dezembro, que priorizou os benefícios econômicos, sociais e ambientais do combustível renovável. Etanol rotulado Em uma discussão sobre as vantagens energéticas e ambientais do etanol de cana quando comparado ao de milho, o cônsul econômico francês, Stéphane Mousset, sugeriu o uso de rótulos para indicar a origem do biocombustível nos postos de abastecimento de seu país: “A prática de indicar a procedência dos produtos é algo comum na França, e adotar a mesma medida com os combustíveis renováveis facilitaria a vida do consumidor, já que saberiam a procedência do etanol consumido.” Baviera e EUA O maior estado alemão, a Baviera, região de onde originaram diversas delegações que visitaram a UNICA nos últimos anos, foi representada no evento por Martin Langewellpott, que destacou a ajuda da entidade ao sanar dúvidas sobre a mistura de 10% de etanol à gasolina adotada pela Alemanha. Os consumidores chegaram a boicotar o combustível, temendo problemas que a mistura poderia causar para o funcionamento dos motores. De volta ao Brasil após uma temporada como ministro-conselheiro na embaixada americana do Sudão, o cônsul geral dos Estados Unidos (EUA) em São Paulo, Dennis Hankins, mostrou se impressionado com a evolução do Brasil – particularmente a da indústria da cana – entre os anos 80, quando atuou no País como cônsul em Recife, e agora. Segundo Hankins, parte do desenvolvimento do setor sucroenergético brasileiro ele acompanhou do Sudão, país que vem adotando tecnologia brasileira para também investir nos produtos extraídos dos canaviais. Para Eduardo Leão de Sousa, o encontro anual de diplomatas organizado pela UNICA ajuda a disseminar informações essenciais sobre o setor sucroenergético diretamente para governos. “Os cônsules e embaixadores estão sempre em contato com seus governos e produtores, portanto podem levar até eles o que ouviram aqui,” ressaltou. Abaixo, a relação de diplomatas que participaram do encontro: África do Sul – Willem van der Spuy, cônsul econômico Alemanha – Rainer Müller, cônsul geral adjunto Baviera – Sr. Martin Langewellpott, representante chefe Bélgica – Didier Vanderhasselt, cônsul geral Canadá – Benoit Prefontaine, cônsul geral Dinamarca – Nicolai Prytz, cônsul geral Dinamarca – Jonatas Ribeiro de Paulo, conselheiro comercial (Energia & Meio Ambiente) EUA – Frederick Giles, diretor Agricultural Trade Office EUA – Dennis Hankins, cônsul geral Finlândia – Jan R. E. Jarne cônsul geral França – Stéphane Mousset, cônsul econômico Inglaterra – John Doddrell, cônsul geral México – Maria Rodriguez, cônsul para assuntos consulares Países Baixos – Jan Gijs Schouten, cônsul geral República Tcheca – Pavel Procházka, cônsul geral

Informativo Copercana, Canaoeste e Cocred

X