Bahia marca presença na Conferência sobre Biocombustíveis

A Bahia, referência na produção da mamona, iniciou o plantio de cana-de-açúcar em larga escala. Sob a mira de grandes investidores internacionais, o Estado busca mostrar suas potencialidades e trocar experiências na I Conferência Internacional sobre Biocombustíveis, evento de cinco dias, que termina hoje (21), em São Paulo, SP

O Estado está sendo representado pela Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri). Segundo o superintendente de Política do Agronegócio da Seagri, Eujácio Simões, o governo baiano vem implementando políticas voltadas ao fomento da produção de oleaginosas, em sistema de consórcio com culturas alimentares.

“É necessário definir um plano de bioenergia voltado para o uso de terras degradadas ou pouco utilizadas para não existir um confronto com a produção alimentar”, disse.

Simões ressalta que a cultura da cana-de-açúcar buscará a não concentração de terras e uma tendência para maior mecanização. “Dessa forma, vamos evitar a exploração da mão-de-obra e a poluição, com a queima de palhagem, culminando com a geração de energia a partir do bagaço”, observa.

BahiaBio

Programa Estadual de Bionergia do Estado da Bahia, o BahiaBio, prevê a implantação de mais de 12 usinas de biocombustíveis, até 2013. A meta é alcançar uma produção de 2,160 bilhões de litros de etanol, cogeração de energia e créditos de carbono.

O programa tem como objetivo impulsionar a produção de combustíveis renováveis no Estado, assim como estimular o plantio de oleaginosas e cana-de-açúcar. Para isso estão envolvidas na implantação do programa, as secretárias da Agricultura (Seagri), da Indústria, Comércio e Mineração (Sicm), do Planejamento (Seplan), dentre outras, sendo que o mesmo é gerido pela Seagri.

X