Avanço da colheita ainda pressiona preços da cana

O avanço da colheita de cana-de-açúcar em São Paulo continua pressionando o preço da matéria-prima pago ao produtor no estado. A cotação do produto recuou 1,79% na primeira quadrissemana de maio, de acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA), órgão vinculado à Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo. O Índice de Preços Recebidos (IPR) pelos agricultores fechou negativo no mesmo período em 1,37%. Com maior peso no fechamento dos preços, os produtos de origem animal registraram queda de 2,78%. Os produtos de origem vegetal fecharam em baixa de 0,61%.

No mês de abril, o preço da cana apresentou queda de 7,75%. No acumulado do ano, o recuo é maior, de 10,88% e, nos últimos 12 meses, baixa de 1,5%.

A tonelada da cana ficou cotada a R$ 29,00 na safra 2001/02, de acordo com dados do Consecana. As cotações podem caírem para R$ 24 a R$ 25 por tonelada, de acordo com estimativas do mercado.

X