Aumenta a procura por carro a álcool

A variação do preço do litro da gasolina nos últimos 90 dias, que passou de R$ 1,260 para os atuais R$ 1,699 (reajuste de 35%), provocou em Rio Preto um aumento à demanda por veículos movidos a álcool. A venda de carro zero quilômetro a álcool aumentou até 40% em concessionárias de Rio Preto (SP) desde o início de 2002 e as garagens não conseguem encontrar usados a álcool para revender. O motivo para este comportamento do motorista é simples: o preço do litro do produto derivado da cana se mantém estável e, hoje, pode ser encontrado por até R$ 0,729 na cidade. Assim, um motorista com carro a álcool pode gastar, no mínimo, R$ 36,45 para colocar 50 litros do combustível no tanque.

Já o proprietário de um veículo movido a gasolina gastará R$ 84,95, uma diferença de R$ 48,50 para abastecer seu carro com os mesmos 50 litros. De acordo com o gerente comercial da Rio Preto Motor, representante Volkswagen, Antonio Carlos Cáceres Castro, atualmente estão encomendados 120 veículos movidos a álcool para serem entregues nos próximos 90 dias. Ele explica que também existe demanda pelo veículo usado movido a álcool, mas não existe no mercado esse tipo de carro à venda. “Para carros zero quilômetro a álcool, a procura na agência concentra-se nos modelos Gol, Parati e Santana. Já os veículos usados, os clientes procuram de todos os modelos, no entanto, não temos oferta de produto”, lamenta

Para o gerente comercial da JS Marella, concessionária Fiat, Édson Croscato, atualmente estão encomendados pelo menos 30 carros a álcool. Ele explica que a montadora fabrica apenas dois modelos sem ser a gasolina: a Fiorino e a Strada. “Nossa intenção é começar a produzir outros modelos mais populares na versão a álcool, porém a Fiat tem um projeto interessante em relação ao veículo movido a gás”, revela Croscato. A diferença no preço entre os dois veículos a álcool e a gasolina pode chegar a até 10%, dependendo do modelo. Segundo a gerente comercial da concessionária Liban, representante GM, Ana Lúcia Cavalcante, a opção pelo Astra ou Corsa a álcool proporciona ao cliente um desconto de 8% sobre o valor do veículo.

“É um atrativo a mais para estimular as pessoas a comprar o veículo a álcool”, diz Ana Lúcia. “Atualmente, estamos vendendo em média 15 unidades por mês, o que não deixa de ser uma boa marca”, acrescenta. O gerente comercial da concessionária Cosvel, representante Ford, Miguel Martins Pereira, informa que o único modelo a álcool da marca é a perua Escort. Por mês estão sendo comercializadas seis unidades. “Temos registrado boa procura e, por isso, existe a expectativa da montadora começar a produzir em larga veículo a álcool ainda este ano, mas ainda não há previsão”, comenta. (Didio Web)

X