As demandas do açúcar e do etanol em 2017

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Cleide Edivirges Santos Laia, da Conab — Foto: JornalCana

Tendo como base de comparação a safra passada, os grupos e usinas se preocupam com a atual que depende ainda mais do clima e dos preços do mercado. A diretora de política agrícola e informações da Conab — Companhia Nacional de Abastecimento, Cleide Ediviges Santos Laia explica o atual cenário do setor e o que ele deve esperar para esta safra em termos de açúcar e de etanol.

JornalCana — Quais são os atuais estudos que estão sendo feitos na área de cana?

Cleide Laia — A Conab faz o acompanhamento regular do mercado da cana e de seus derivados. Os estudos apresentam dados sobre produção, produtividade, área plantada, volume destinado à produção de etanol e açúcar, evolução dos preços no mercado interno e internacional, quadro de suprimento, total exportado, utilização da biomassa da cana na matriz energética nacional, entre outras informações pertinentes ao setor sucroenergético.

Qual a expectativa de plantio e colheita de cana para essa safra?

A área colhida no Brasil de cana-de-açúcar destinada à atividade sucroenergética na safra 2016/17 deverá ser de 9,1 milhões de hectares, de acordo com o 3o Levantamento da safra 2016/2017 divulgado em dezembro pela Conab. Aumento de 456,1 mil hectares, ou 5,3% em relação à safra anterior. Se confirmada, será a maior área colhida no Brasil. A estimativa para o plantio é de 1 milhão de hectares, entre área de renovação e expansão.

Qual a expectativa de preços para o açúcar nessa safra?

Os preços devem permanecer elevados ao longo do ano- safra, considerando que o volume de oferta global será inferior à demanda. Existe a expectativa de um déficit mundial da ordem de 2,6 milhões de toneladas.

Leia matéria completa clicando aqui.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.