Área de gestão automatizada no campo amplia setor de TI

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

A baixa penetração de sistemas de gestão informatizados nos negócios de produtores rurais que trabalham em extensões de terra de pequeno e médio porte e a necessidade de soluções especializadas, como, por exemplo, ferramentas que facilitam a administração dos contratos de commodities na cadeia agroindustrial, têm sido encarados como nichos de grande potencial por empresas como a Totvs e a SAP.

A Totvs se prepara para lançar, no primeiro semestre deste ano, uma solução para pequenos e médios produtores do País, cuja comercialização será balizado na venda de software como serviços (conhecido pela sigla em inglês SaaS). Nesse modelo, a empresa que fornece o sistema se responsabiliza por toda a estrutura de servidores, conectividade e segurança dos dados, e o cliente pode acessar o software via Internet, pagando um valor recorrente pelo uso do serviço.

“Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [IBGE], Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil [CNA], Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento [Mapa], reunidos pela Totvs, o Brasil conta com cerca de 5 milhões de produtores que administram áreas com menos de 500 hectares.Destes, 98% não têm nenhuma solução de gestão integrada”, comentou Gilsinei Hansen, diretor de Estratégia de Software da Totvs.

Com base nos dados, o executivo explicou que o atendimentos dos pequenos e médios produtores é um nicho pouco desbravado e que uma boa solução cujo pagamento se dá pelo serviço e não pela licença é interessante porque mais barata.

“Nosso sistema de gestão agrícola ajuda os produtores em todas as etapas, do controle da área plantada, produtividade da terra e planejamento das colheitas até a emissão de notas fiscais”, ressaltou.

O segmento de agronegócio da Totvs representa 4% do faturamento da companhia. Hoje a área esta estruturada em dois pilares, um que atende a cadeia sucroenergética (que engloba grande produtores de cana-de-açúcar, açúcar e etanol) e outro focado em multi-culturas, com projetos para produtores de grãos, frutas, algodão e outros.

O novo sistema de gestão foi criado para atender clientes de multi-culturas. Como os pequenos e médios produtores estão espalhados por todo o País a empresa optou por um plano de crescimento firmando parcerias com órgãos do governo e companhias ligadas à comercialização de grãos e defensivos, que já têm uma relação próxima aos produtores rurais.

Além desse sistema, a Totvs investe em soluções de mobilidade com foco no desenvolvimento e atendimento de clientes do segmento sucroenergético.

Especialização

A SAP também aposta na adoção de softwares de gestão para a agroindústria, dando ênfase a uma sistema de Contrato de Gestão Agrícola (tradução da sigla em inglês ACM).

O software gerencia os contratos de commodities dentro de toda a cadeia produtiva. A SAP não desenvolve soluções específicas de gestão agrícola. Segundo Claudio Lot, gerente de soluções de agribusiness da empresa, esse mercado [de gestão agrícola] conta com muitos players e sistemas e a SAP vê oportunidades mais interessantes no Brasil e no mundo, na gestão de contratos da agroindústria.

Explicando a solução da SAP, Lot contou que faltava no mercado global um sistema especializado na gestão de contratos do setor: “Optamos pela criação de uma solução integrada, cuja especialidade é gerir um grande número de informações, atuando desde a captação do contrato, qualificação, levantamento de riscos até a qualidade e volume das commodities. Já existiam sistemas que administravam contratos no geral, mas nós e trouxemos especialização para o nosso sistema”, reforçou Lot.

Em 2013 o segmento de agribusiness da SAP deve lucrar mais com a venda de licenças para clientes que atuam na cadeia de grãos: “Os produtores soja do Brasil vivem um momento especial porque a safra recorde de 2012 e 2013 vai deixá-los muito capitalizados, assim devemos ter retorno maior vendendo licenças para clientes desse segmento”.

Mercado de software

O presidente da Associação Brasileira de Software (Abes), Gerson Schmitt, afirmou o segmento agrário pode fomentar ainda mais a indústria nacional de software, cujo desempenho em 2012 foi bastante positivo: “Ainda não temos os números finais, mas estimamos que o mercado de software no Brasil cresceu acima de 2 dígitos”.

O especialista destacou que empresas pequenas e médias de tecnologia que atuam em regiões produtoras de grãos e outras commodities têm ampliado investimento em soluções, mas fora grandes players como a Totvs, quem atua na área ainda esta invisíveis no mapa nacional de desenvolvimento. Para ele, o governo precisa atuar para mudar isso.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.