Área canavieira de SP entra na mira de pesquisa sobre agrotóxicos

canaAs áreas canavieiras do estado de São Paulo integram projeto de pesquisa recém-lançado para monitorar os impactos ambientais da aplicação de agrotóxicos. Coordenado pelo Instituto Biológico (IB-Apta), da Secretaria estadual de Agricultura e Abastecimento, o trabalho terá início na cidade turística de Brotas, cortada pelo Rio Jacaré Pepira e próxima a áreas de cultivo de cana-de-açúcar.

O trabalho tem financiamento de R$ 2,2 milhões do Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos (FID), da Secretaria estadual da Justiça e Defesa da Cidadania, e deverá ter duração de três anos.

O objetivo é avaliar a contaminação de agrotóxico. Durante os trabalhos, os pesquisadores do IB recolherão amostras do solo, sedimentos, águas superficiais, como rios e córregos, e águas subterrâneas, como poços artesianos.

As amostra serão analisadas no Laboratório de Ecologia dos Agroquímicos do IB, na capital paulista.

Arnaldo Jardim, secretário da Agricultura do governo paulista, explica: “pesquisas como essa, realizada pelo IB, mostra nossa preocupação com as questões ambientais e será de muita importância para traçarmos estratégias para preservação das águas e do solo.”

Resíduos

Eliane Vieira, pesquisadora do IB e coordenadora do projeto: “o uso de agrotóxicos leva ao aparecimento de resíduos em amostras ambientais. Diante deste fato e da periculosidade que apresentam à manutenção da biodiversidade, existe hoje a necessidade de se intensificarem estudos que possibilitem o monitoramento eficiente de áreas próximas à agricultura.”

Segundo Eliane, esse conhecimento poderá contribuir para o planejamento do uso do solo para causar menores impactos ambientais, sem prejudicar a produtividade agrícola.

“São Paulo é um dos estados que mais utilizam agrotóxicos a nível nacional, e o segundo em ocupação e uso da terra com agricultura, estando atrás somente do Paraná”, emenda.

 

 

 

 

 

 

X