Araçatuba/SP: Para reduzir custos, região terá terminal de distribuição de combustíveis

Deve entrar em operação no início de 2011, o primeiro terminal de distribuição de combustíveis da região de Araçatuba. O investimento é do grupo Cosan e utilizará os modais rodoviário e ferroviário, o que resultará na redução de custos logísticos. O valor total do investimento não foi divulgado.

De acordo com a Cosan Combustíveis e Lubrificantes, empresa do grupo Cosan que detém o controle e operação dos ativos de distribuição de combustíveis Esso, o investimento no terminal em Araçatuba teve início em 2009. O projeto é dividido em três fases. A primeira fase começou em junho de 2009 com a operação de transbordo de etanol de autotanques para os vagões-tanques da ALL.

A segunda etapa teve início em outubro deste ano, com a operação de centro coletor de etanol. O etanol produzido pelas usinas do grupo instaladas na região é armazenado em tanques e segue de trem para Paulínia, onde é distribuído para grandes centros, como São Paulo e Campinas.

“Para a implementação da terceira e última fase, estamos da dependência da AO (Autorização de Operação) da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), uma vez que já obtivemos a licença de operação da Cetesb, o alvará do Corpo de Bombeiros, a licença de funcionamento da Prefeitura e o alvará de construção da ANP”, explicou o superintendente do terminal de Paulínia, César Rodrigues.

O alvará de construção da ANP foi publicado no Diário Oficial da União no último dia 23. A capacidade total de armazenamento será de 4.367 metros cúbicos para a construção de cinco tanques, sendo quatro com capacidade de 1.088 metros cúbicos – armazenamento de etanol anidro e hidratados, gasolina e óleo diesel – e um com 15 metros cúbicos. O projeto ainda não está em sua capacidade máxima. “Temos planos de expansão para mais quatro tanques em breve”, adiantou Rodrigues.

Vantagens

De acordo com a empresa, as vantagens do investimentos no terminal são inúmeras, tendo como destaque a logística. “O transporte de etanol será por vagão-tanque para Paulínia com logística reversa de gasolina e diesel para Araçatuba. Os custos logísticos diminuem consideravelmente e isso aumenta a competitividade da Cosan no mercado local”, explicou o superintendente.

O etanol produzido na região também terá custos de frete reduzido, já que a distribuição será feita a partir do terminal de Araçatuba. Na terceira fase de operação do projeto também está prevista a instalação de um laboratório para testes de combustíveis. Hoje, o local já possui condições de realizar testes básico de qualidade de acordo com a legislação vigente.

Centro

Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Carlos Faria, o investimento do grupo Cosan comprova a transformação de Araçatuba num centro de terminais logísticos. “O terminal deve favorecer ainda outros empreendimentos. Além da solução para a logística do etanol, com a integração dos modais, a cidade está criando um novo polo de plataforma logística. Quando a região tem produção e solução logística de transporte resulta num crescimento econômico bem ordenado”, disse.

Além da questão logística, o terminal trará riquezas oriundas da arrecadação fiscal.

X