Após 30 anos, Usina Batatais deixa a Copersucar. Confira como fica a partir de agora

Chega ao fim o casamento entre a Copersucar e a Usina Batatais, com duas unidades produtoras de açúcar e etanol no interior paulista.

Bernardo Biagi, sócio de Lourenço Biagi na Usina Batatais, revela:

1 – A partir das safra 2016/17 a comercialização de açúcar e de etanol da unidades de Batatais e de Lins será feita por meio de parceria com a Usina São Martinho

2 – Os gestores da Usina Batatais irão trabalhar juntos com a São Martinho e terão autonomia para fixar preços do açúcar na bolsa de Nova York.

3 – 72% do açúcar a ser produzido na safra 16/17 da Batatais já estão fixados na bolsa

4 – Por que a São Martinho? Porque esse grupo possui estrutura comercial inclusive para atuar com traders

5 – A Batatais foi durante 30 anos cooperada e depois associada da Copersucar. Para deixar a empresa, teve de cumprir período de três anos

6 – O contrato com a São Martinho é pelos próximos três anos

 

Biagi: serão necessários três anos bons de preços para o setor reduzir sua dívida financeira
Biagi: serão necessários três anos bons de preços para o setor reduzir sua dívida financeira

Confira agora as avaliações de Bernardo Biagi sobre o mercado sucroenergético:

Dólar alto: ajuda nos preços das exportações e prejudica no endividamento dolarizado. “A Batatais tem parte da dívida dolarizada, mas não teve vencimentos desde o início da alta do dólar, e nem possui vencimentos próximos.”

Produções previstas das duas unidades da Batatais na 16/17: 400 mil toneladas de açúcar, 180 milhões de litros de etanol anidro e 120 milhões de litros de hidratado

Moagem de cana prevista: 6,8 milhões de toneladas nas duas unidades, ou 7% acima da safra 15/16

Safra antecipada: a Usina Batatais tem tradição de iniciar a safra em março porque tradicionalmente deixa em torno de 7% da cana bisada. “É uma aposta nossa.”

Cogeração de excedentes: a companhia não investiu e nem investirá na produção de energia excedente. “Vendemos bagaço que sobra para indústrias de papel e de óleo, no caso de Batatais, onde na média a tonelada do bagaço é vendido por R$ 80, e para a indústria de suco de laranja em Lins, onde a tonelada cai para médios R$ 60.”

Redução do endividamento do setor: “deveremos ter um ano bom de preços, mas serão necessários três anos bons seguidos para reduzir as dívidas do setor sucroenergético.”

Contate o autor deste conteúdo: delcymack@procana.com.br

 

 

X