Apesar do anúncio, nova refinaria não iniciou produção em Limeira

Após um ano e seis meses do fechamento da Nova América seguido de vários anúncios sobre a instalação da Worksheep Refinaria de Açúcar Limitada, que retomaria o refino e absorveria a mão-de-obra, nenhum trabalhador foi contratado. Na última coletiva à imprensa feita em maio na Prefeitura, antes do período eleitoral, a notícia era que a produção começaria em 45 dias.

A Gazeta recebeu a informação de que, além de não ter iniciado a produção, a empresa dispensou 26 dos 30 funcionários contratados para manutenção das máquinas. O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins confirmou e acrescentou que o prazo inicial foi novamente adiado para novembro sem explicações concretas. “O Sindicato foi apenas informado de que houve problemas ligados à matéria-prima”, disse o presidente, Arthur Bueno de Camargo.

Os dados da entidade mostram que cerca de 80 funcionários da empresa anterior continuam desempregados e as perspectivas são pessimistas. “Houve várias alterações no prazo, o que deixa muitas incertezas. A informação mais recente agora é que a produção deve começar em novembro”, afirmou.

Em maio, após muitas cobranças feitas ao prefeito Silvio Félix (PDT) depois de anunciar a retomada das atividades por um novo grupo, a Prefeitura e a empresa promoveram uma coletiva. O diretor da Worksheeep, Marcos Torres, disse que a produção começaria em 45 dias.

Exatamente depois de três meses a assessoria de imprensa da Prefeitura enviou uma nota confirmando a manutenção das máquinas e o início da produção em outubro. “A própria empresa afirmou ao Sindicato que a previsão agora é novembro”, explicou.

Para Camargo, os impasses são preocupantes principalmente porque, com apenas quatro funcionários, a manutenção fica parada o que adia ainda mais a retomada das atividades. O Sindicato aguarda uma posição mais concreta da empresa sobre o assunto até novembro. “Precisamos cobrar uma postura realista para auxiliarmos os trabalhadores desempregados”, afirmou.

CONTRATOS

Torres conversou ontem novamente com a reportagem, garantiu o início do funcionamento e afirmou que a cobrança é natural. Segundo ele, o investimento na cidade chega a R$ 5 milhões, com foco principal na exportação.

Para que a empresa comece e não pare, o diretor afirmou que os acertos dos contratos de exportação são fundamentais antes da contratação de funcionários. “Não adianta manter com altos custos os funcionários na empresa se ainda não tivermos produção”, justificou.

A expectativa é que os contratos sejam fechados nas próximas duas semanas para iniciar a contratação definitiva dos trabalhadores. Esse procedimento deve ser rápido assim como o início da produção, pois restam apenas alguns detalhes de manutenção do imóvel. “Queremos começar para não parar. Para isso também é fundamental a garantia do fornecimento”. Apesar da crise financeira mundial afetar principalmente os mercados de exportação, Torres afirmou que o momento é de “tormenta”, mas não deve ocorrer impactos na atividade da empresa em Limeira.

No final da tarde, a Prefeitura de Limeira informou, através da assessoria de imprensa, que entregou, no último dia 28 de agosto o alvará de funcionamento para a empresa Worksheep. Segundo a nota, nessa data, representantes da Secretaria Municipal de Governo e Desenvolvimento estiveram na empresa para a entrega do documento. “Com o documento em mãos, a empresa pode começar a operar”, finaliza.

X