Anfavea desiste de participar da Agrishow 2009

As montadoras associadas à Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) não vão participar da 16ª Agrishow, que será realizada em Ribeirão Preto, SP, em 2009. Segundo a entidade, o motivo da desistência é a atual conjuntura econômica, que causou forte retração nas vendas de veículos nos últimos dois meses.

A Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), uma das organizadoras da feira, foi comunicada esta semana. A Anfavea sugeriu à Abimaq que a Agrishow seja bienal (de dois em dois anos), assim como as feiras do setor automotivo.

As vendas de veículos devem fechar o ano com alta de 14,3%, contra os 24,2% previstos inicialmente. No entanto, as medidas do governo, que incluem a redução do IPI (Imposto de Produtos Industrializados), até 31 de março de 2009, para a indústria automotiva, podem alavancar as vendas e garantir um percentual de crescimento maior para este ano.

Pelas novas regras, os carros populares até 1.000 cilindradas (cc), tanto álcool quanto gasolina, estão com taxa zero (atualmente é de 7%). Já os de 1.000 cc a 2.000 cc, à gasolina, têm redução de 13% para 6,5%. O IPI dos flex ou álcool cai de 11% para 5,5%. Carros acima de 2.000 cc não têm alteração de alíquota.

Para o segmento de máquinas agrícolas, a estimativa de vendas é 40% superior à do ano passado, somando 53,8 mil unidades. A projeção inicial era de um aumento de 38,6%.

Disputa

A decisão da Anfavea de não participar da Agrishow acontece em meio a uma polêmica disputa política pelo local da feira, que acontece há 15 anos em Ribeirão Preto. São Carlos apresentou um projeto, já aprovado pelo governo, que prevê a construção da Cidade da Bioenergia. A Agrishow fará parte desse projeto a partir de 2010.

No início da semana, a prefeitura são-carlense assinou o convênio para construção da Cidade da Bioenergia. O Governo Federal deve liberar R$ 53 milhões para melhorias de infra-estrutura de São Carlos. Já a Embrapa Agropecuária já cedeu um terreno de 240 hectares, em comodato de 50 anos, para construção do empreendimento. A Abimaq investirá outros R$ 25,5 milhões.

Autoridades de Ribeirão Preto questionaram a viabilidade da mudança. A disputa motivou o pedido de demissão do ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, da presidência do conselho executivo da Agrishow.

Políticos e empresários de Ribeirão já se mobilizam para criar um evento para substituir a Agrishow. O deputado federal Duarte Nogueira afirmou que a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado (SAAE) vai manter o uso da atual área da Agrishow para realização de uma feira com perfil mais agrícola, com participação de setores de sementes, defensivos, adubos, melhoramento genético, tecnologia, além da participação de instituições de crédito para produtores.

A 15ª Agrishow, realizada em maio deste ano, superou a meta R$ 800 milhões em negócios, desempenho 12,6% superior aos R$ 710 milhões da edição de 2007. Neste último evento, foram realizadas ainda cerca de 700 demonstrações das máquinas de campo.

X