Álcool ilegal

José Serra, quando ministro da Saúde, proibiu, por portaria, a comercialização do álcool líquido. Impôs o álcool gel por medida de segurança e prevenção de acidentes, fazendo a alegria de todos os que trabalham para minorar o sofrimento dos queimados, que é uma tortura inimaginável para que não passou ou não conviveu com isso.

É com surpresa, portanto, que estamos vendo o álcool líquido voltar às prateleiras dos supermercados.

O álcool gel, além de ser imensamente menos inflamável, e por isso menos perigoso, rende mais, pois não há desperdício ou evaporação. Portanto, os tostões a mais que ele custa são fartamente recompensados pelo uso. Não existe, assim, uma razão de consumo para que o álcool líquido volte às prateleiras.

X