Álcool foi setor que apresentou maior retração

A relativa perda de importância do agronegócio na indústria em geral entre 1996 e 2001 foi originada, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no encolhimento da participação de cinco setores: álcool, alimentos (que respondem por 55% da agroindústria), fumo, máquinas e beneficiamento de fibras têxteis.

O que mais encolheu foi o de álcool, em um momento em que o mercado de derivados de cana estava mais favorável ao açúcar, que foi o produto com maior aumento na participação da produção agroindustrial no período, alcançando 13% da produção no setor e 1,8% da indústria em geral. O álcool chegou a ser a atividade que mais empregava nas atividades agroindustriais mas o número de empregos que gerava caiu de 106 mil para 44 mil entre 1996 e 2001.

Naquele ano, as quatro principais atividades geradoras de emprego respondiam por 52,9% das ocupações na agroindústria e eram, pela ordem, usinas de açúcar (16,7%), abate de bovinos (14,1%), desdobramento de madeira (11,5%) e abate de aves (10,7%). Dentro do setor de alimento, a queda de maior destaque foi a do leite, pela influência do Mercosul antes das crises na Argentina e no Uruguai. As informações são da Pesquisa Industrial Anual de Empresas (PIA-Empresa) de 2001, divulgada há pouco.

X