Air New Zealand e Boeing farão vôo-teste com biocombustível em um 747.

A Air New Zealand e a Boeing anunciaram ontem que no dia 3 de dezembro realizarão um vôo-teste com biocombustível sustentável. O teste será feito com um Boeing 747-400 que decolará de Auckland e que será realizado em parceria com a Rolls-Royce e a UOP, uma empresa Honeywell. Uma das quatro turbinas Rolls-Royce RB211 da aeronave será abastecida com uma avançada geração de biocombustível derivada da jatropha (biodiesel originado do pinhão-manso, planta muito indicada para a produção de energia). A Air News Zealand se tornará a primeira companhia aérea a utilizar comercialmente uma fonte viável de biocombustível, usando as melhores práticas de sustentabilidade.

Boeing, Air New Zealand e UOP trabalharam com a desenvolvedora de projetos Terasol Energy, para identificar de forma sustentável a jatropha em quantidade adequada para os testes de pré-vôo. Usando tecnologia de processamento de combustível da UOP, o óleo cru de jatropha foi convertido com sucesso para biocombustível de aviação, marcando a primeira produção em larga escala do mundo de um biocombustível viável comercialmente para uso na aviação. Como parte do processo de verificação de combustível, a equipe técnica da Rolls-Royce conduziu exaustivos testes de laboratório para assegurar a compatibilidade com os componentes dos motores a jato, assim como para validar que o novo combustível atende todos os rígidos critérios de performance do combustível para aviação – todas as exigências e especificações estabelecidas foram superadas.

X