AIE reduz projeções para a oferta de álcool no país

A Agência Internacional de Energia (AIE) reduziu as projeções para a produção de etanol no Brasil neste ano e em 2010, ao mesmo tempo em que apontou melhoras na margem de lucro dos produtores nos EUA e na Europa.

Em relatório mensal, a AIE estima que no curto prazo a expectativa é que a produção de etanol no Brasil continuará a cair. As projeções agora são de baixa equivalente a 25 mil barris diários de petróleo em 2009, para 480 mil barris/equivalente por dia. Menor consumo doméstico, preços mais altos do açucar e desaceleração na construção de usinas também explicam a queda da previsão para 2010 em 45 mil barris equivalente de petróleo por dia, para em 510 mil – mais, portanto, que o volume deste ano.

Já os produtores de etanol nos EUA continuam a se beneficiar dos preços do milho e do gás natural, e melhoraram suas margens. A produção americana atingiu em agosto o equivalente a 727 mil b! arris de petróleo por dia. Significa que 93% da capacidade tem sido utilizada, muito mais do que a média de 80% a 85% do primeiro semestre. A AIE projeta alta de produção de 10 mil barris por dia este ano, em linha com o objetivo do governo americano para a utilização do etanol. Para 2010, a expectativa é que a producao se mantenha em 770 mil barris.

Os produtores de etanol na Europa tambem se beneficiam de margem de lucro maior. O preço favorável do trigo permitiu uma alta de volume do combustível equivalente a 10 mil barris por dia em 2009 e esse aumento deverá chegar a 15 mil barris em 2010.

Globalmente, a projeção da AIE agora é de baixa na produção de biocombustíveis, num volume equivalente a 5 mil barris de petróleo por dia este ano e de 10 mil no ano que vem. No Brasil, a queda na produção de etanol é compensada pela contínua alta na produção de petróleo. Em agosto, a producao de petróleo foi 65 mil barris por dia maior do que as projeções da AIE e bateu novo rec! orde de mais de 1,9 milhão de barris por dia.

AIE reduz projeções para a oferta de álcool no país

A Agência Internacional de Energia (AIE) reduziu as projeções para a produção de etanol no Brasil neste ano e em 2010, ao mesmo tempo em que apontou melhoras na margem de lucro dos produtores nos EUA e na Europa.

Em relatório mensal, a AIE estima que no curto prazo a expectativa é que a produção de etanol no Brasil continuará a cair. As projeções agora são de baixa equivalente a 25 mil barris diários de petróleo em 2009, para 480 mil barris/equivalente por dia. Menor consumo doméstico, preços mais altos do açucar e desaceleração na construção de usinas também explicam a queda da previsão para 2010 em 45 mil barris equivalente de petróleo por dia, para em 510 mil – mais, portanto, que o volume deste ano.

Já os produtores de etanol nos EUA continuam a se beneficiar dos preços do milho e do gás natural, e melhoraram suas margens. A produção americana atingiu em agosto! o equivalente a 727 mil barris de petróleo por dia. Significa que 93% da capacidade tem sido utilizada, muito mais do que a média de 80% a 85% do primeiro semestre. A AIE projeta alta de produção de 10 mil barris por dia este ano, em linha com o objetivo do governo americano para a utilização do etanol. Para 2010, a expectativa é que a producao se mantenha em 770 mil barris.

Os produtores de etanol na Europa tambem se beneficiam de margem de lucro maior. O preço favorável do trigo permitiu uma alta de volume do combustível equivalente a 10 mil barris por dia em 2009 e esse aumento deverá chegar a 15 mil barris em 2010.

Globalmente, a projeção da AIE agora é de baixa na produção de biocombustíveis, num volume equivalente a 5 mil barris de petróleo por dia este ano e de 10 mil no ano que vem. No Brasil, a queda na produção de etanol é compensada pela contínua alta na produção de petróleo. Em agosto, a producao de petróleo foi 65 mil barris por dia maior do que as projeções da AIE e bateu novo recorde de mais de 1,9 milhão de barris por dia.

X