AgraFNP estima safra de 642 milhões de toneladas de cana

A empresa de consultoria AgraFNP estima que as usinas e destilarias brasileiras vão moer 642 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2010/11, volume 6,34% superior ao registrado no ciclo passado.

A produção de açúcar deverá alcançar 36,6 milhões toneladas, aumento de quase 3,5 milhões de toneladas frente a produção da safra 2009/10. Já produção de etanol será de 28,1 bilhões de litros, 9,2% acima do registrado na safra anterior.

Segundo o novo levantamento da AgraFNP, a produção da região Centro-Sul deverá ser de 579 milhões de toneladas, queda de 0,64%, frente a primeira estimativa divulgada há seis meses. No entanto, será 6,8% superior a quantidade colhida na safra 2009/10.

A principal região sucroenergética do Brasil teve seus dados revisados para baixo, devido ao clima excessivamente seco e a maior competitividade da gasolina frente ao etanol hidratado.

De acordo com o analista de mercado da AgraFNP, Bruno Bosz, a empresa já trabalhava com perspectiva de um ano mais seco desde o início de 2010, contudo, não se previa condições tão adversas como o observado até o momento. “Apesar do clima adverso, as perdas não foram tão fortes, pois houve maior concentração de ATR/tonelada de cana”, diz.

A região deve ter uma safra mais alcooleira, com um mix produtivo de 56,2% favorável ao etanol. A produção do biocombustível deverá atingir 26,1 bilhões de litro, sendo 7,1 bilhões de litros de etanol anidro (combustível que é misturado à gasolina) e 18,9 bilhões de litros de etanol hidratado. No comparativo com o primeiro levantamento da AgraFNP, divulgado em março de 2010, observa-se redução de 5,5% no volume total de etanol produzido.

Na avaliação de Bosz, o etanol hidratado está com um preço maior na atual safra, o que é determinante para a demanda do produto, principalmente nos estados da região Norte e Nordeste do Brasil. Dessa forma, as usinas estão optando por uma maior produção de etanol anidro. “Mesmo com o aumento da frota Flex-Fuel, o consumo de etanol deve ter menor expansão na safra 2010/11”, ressalva.

A produção de açúcar também foi revista para baixo, estimada em 32,4 milhões de toneladas, queda de 3,6% frente ao primeiro levantamento da consultoria. Apesar da redução, o valor representa um recorde de produção. No comparativo com a safra 2009/10, observa-se aumento de 12,8%.

Ao contrário da região Centro-Sul, as precipitações elevada que atingiram os principais estados produtores de cana-de-açúcar na região Norte-Nordeste, em junho, devem impedir a expansão da safra 2010/11. Segundo a AgraFNP, a região deverá moer 63 milhões de toneladas na atual safra, cerca de 2,3% a mais que o observado na safra 2009/10.

Para Bosz, este aumento de produção na região Norte-Nordeste é resultado do avanço da cultura no estado de Tocantins. “A expectativa é que o estado aumente consideravelmente a produção com a inauguração de uma usina no município de Pedro Afonso”, explica.

A AgraFNP projeta que a safra 2010/11 de cana-de-açúcar na região Norte-Nordeste segue mais açucareira, sendo 56,4% da cana moída destinada para produção de açúcar. A expectativa é de que a região produza 4,2 milhões de toneladas do produto, quase 100 mil toneladas a menos que o observado na safra 2009/10.

Já para o etanol, a estimativa da consultoria é de 2 bilhões de litros, volume similar ao produzido no ano passado, sendo 950 milhões de litros de etanol anidro e 1,1 bilhão de litros de etanol hidratado.

X