Adubação foliar e aplicação de fungicida ajudam a Bioenegética Aroeira a manter TCH de três dígitos

A companhia sucroenergética Bioenergética Aroeira iniciou em 2011 a produção de sua unidade localizada em Tupaciguara, em Minas Gerais.

Em 2011, a unidade processou 440,4 mil toneladas de cana-de-açúcar, sendo 50% próprias. No ano seguinte, a moagem quase dobrou. Na safra 17/18, o processamento alcançou 1,5 milhão de tonelada.

Já no primeiro ano de safra, no entanto, a Bioenergética Aroeira registrou produtividade agrícola de três dígitos, com 109,47 toneladas de cana por hectare (TCH). Depois de queda em quatro safras, a companhia retomou TCH de três dígitos na 17/18, com 101,15.

Leia também:

Principal evento de Cogeração e Utilidades em usinas acontece na semana que vem em Ribeirão

Um dos motivos pelo resultado de TCH acima de três dígitos está na adubação foliar associada a aplicação de fungicidas, segundo Marcos Rodrigues, engenheiro agrônomo e supervisor agrícola da Bioenergética Aroeira.

Rodrigues foi um dos palestrantes da segunda edição do evento Usinas de Alta Performance Agrícola, promovido em 22/08 pela ProCana Sinatub dentro da programação da Fenasucro & Agrocana em Sertãozinho (SP).

JornalCana destaca a seguir slides da apresentação de Marcos Rodrigues que explicam por que a Bioenergética Aroeira registra produtividade agrícola de três dígitos.

 

 

 

No evento da ProCana Sinatub, Marcos Rodrigues destacou práticas agrícolas que ajudam no resultado:

 

Foco na adubação foliar

 

Como a Bioenergética Aroeira faz o manejo da adubação foliar:

 

 

Benefícios da aplicação aérea de fungicida:

 

 

 

Confira agora os resultados: 

 

 

 

 

 

X