Açúcar União agora é halal

A NovAmérica, empresa de grande porte do ramo sucroalcooleiro, anunciou ontem que recebeu certificação halal para seus produtos. Ela espera ganhar mercado entre os muçulmanos no Brasil e lá fora.

A NovAmérica, uma das maiores empresas brasileiras do ramo sucroalcooleiro, anunciou ontem (23) que acaba de receber certificação halal para seus açúcares, o que garante que o processo de fabricação respeita preceitos religiosos islâmicos e o produto é adequado aos consumidores muçulmanos. A certificação foi feita pela Central Brasileira de Alimentos Halal (Cibal Halal).

De acordo com a assessoria de imprensa da companhia, a certificação indica a qualidade do açúcar e que ele foi produzido em fábricas inspecionadas por muçulmanos praticantes. A gerente de marketing da NovAmérica, Marielza Cavallari, diz que “os certificados reforçam as oportunidades de vendas no mercado interno uma vez que atestam a adequação [dos produtos] a um número maior de consumidores potenciais”. “Além disso, também criam oportunidades para o mercado internacional”, afirmou ela, segundo a assessoria.

Sendo um atestado de qualidade, a companhia espera não só conquistar o público muçulmano, mas também consumidores em geral que buscam mercadorias de alto padrão. A certificação halal, embora não seja obrigatória para todos os tipos de alimentos, é algo a mais que uma empresa pode oferecer para manter e ampliar sua clientela.

Segundo a NovAmérica, todos os produtos fabricados nas unidades que a empresa mantém em Tarumã e em Macaí, no interior de São Paulo, foram certificados. Os itens são o açúcar refinado amorfo (fino e de rápida diluição), açúcar refinado granulado, açúcar de confeiteiro, açúcar cristal, açúcares líquidos e adoçante de mesa.

A NovAmérica, dona da tradicional marca de açúcar União, tem quatro unidades produtoras e mais uma em construção no Mato Grosso do Sul. Além do açúcar, a empresa atua nos ramos de etanol e laranja. No último ano fiscal, encerrado em abril, a companhia obteve um faturamento de R$ 1,1 bilhão. Ela emprega cerca de 10 mil pessoas.

X