Açúcar orgânico para o Japão

O sítio São José, em Conselheiro Mairinck, foi a primeira propriedade do Brasil a obter a certificação da cadeia produtiva de cana de açúcar. O pioneirismo da família Ribeiro, proprietária do sítio, assegura a exportação para o exigente mercado japonês, de 15 toneladas de açúcar orgânico a cada seis meses. Em 2004 a projeção é de que o volume exportado alcance 100 toneladas/ano com incursões ao mercado europeu e norte-americano.

O sítio com 39 ha é cultivado por oito irmãos. No local todo o processo, desde o plantio até a transformação dos alimentos, é orgânico. O município de Conselheiro Mairinck (61 km ao sul de Jacarezinho) tem uma população de 3,5 mil habitantes. A família Ribeiro negocia em dólares com o mercado japonês.

A história da produção orgânica começou em 1988; em 1989 a propriedade obteve a certificação pelo Instituto Biodinâmico (IBD) de Botucatu (SP). Segundo o consultor Milton Ribeiro, um dos proprietários do sítio, a conversão foi natural porque a agricultura familiar e o cultivo sem agroquímicos já prevaleciam.

Atualmente, o IBD coordena um processo de obtenção da certificação dos produtos junto ao governo do Japão, através da Japan Organic & Natural Foods Association (Jona). Os processos de certificação e de exportação provocaram a criação da empresa Natuceres Alimentos Naturais Ltda para gerenciar a comercialização da cana e de seus derivados. A propriedade comercializa, além da cana, seus derivados como a rapadura, mel de cana e a cachaça.

Na propriedade, segundo o consultor, está em desenvolvimento a segunda etapa do processo de certificação coordenado pelo IBD. O sítio já superou a etapa orgânica em que é previsto o aproveitamento de tudo no interior da propriedade, e iniciou o sistema Biodinâmico que visa estimular a vida através da natureza. Esta experiência no setor acarretou a criação de uma empresa especializada em consultoria em orgânicos.

Amostras de produtos do sítio serão degustadas na Jetro Osaka, importante feira de orgânicos no Japão. Em 2002 os produtos já haviam sido expostos na Biofach Japan. O volume exportado corresponde a 80% da produção e os outros 20% são comercializados no mercado interno. O preço do açúcar orgânico, no mercado internacional, chega a valer 30% a mais que o convencional. O produtor evitou revelar o preço.

Neste mês serão embarcadas 15 t do produto para o Japão. A expectativa é de que o aumento na ordem de 200% na produção seja realizado em parceria com outros produtores dos municípios de Santo Antônio da Platina, Jaboti, Japira e Conselheiro Mairinck.

X