Açúcar Guarani se prepara para vender créditos de carbono

A Açúcar Guarani enviou recentemente à ONU – Organizações das Nações Unidas – seu projeto de “cogeração de energia a partir do bagaço da cana-de-açúcar”. O projeto comprova que a Guarani deixa de liberar no ambiente, 644 quilos de gás carbônico por cada MWh produzido.

Segundo a assessoria de imprensa, quando o projeto – que inclui a geração de energia limpa e a venda de créditos de carbono no mercado internacional – for aprovado pela ONU, a usina poderá comercializar esses créditos.

A assessoria informa também que a Guarani gera hoje 22,5 megawatts/hora, dos quais 12,5 megawatts/hora começaram a ser comercializados com o mercado no início deste mês (junho). A compradora é a CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz). Estes 12,5 MW/h são suficientes para iluminar uma cidade de 60 mil habitantes. Os 10 MW/h restantes são consumidos pela própria empresa.

Açúcar Guarani se prepara para vender créditos de carbono

A Açúcar Guarani enviou recentemente à ONU – Organizações das Nações Unidas – seu projeto de “cogeração de energia a partir do bagaço da cana-de-açúcar”. O projeto comprova que a Guarani deixa de liberar no ambiente, 644 quilos de gás carbônico por cada MWh produzido.

Segundo a assessoria de imprensa, quando o projeto – que inclui a geração de energia limpa e a venda de créditos de carbono no mercado internacional – for aprovado pela ONU, a usina poderá comercializar esses créditos.

A assessoria informa também que a Guarani gera hoje 22,5 megawatts/hora, dos quais 12,5 megawatts/hora começaram a ser comercializados com o mercado no início deste mês (junho). A compradora é a CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz). Estes 12,5 MW/h são suficientes para iluminar uma cidade de 60 mil habitantes. Os 10 MW/h restantes são consumidos pela própria empresa.

X