Açúcar de Londres fecha em queda, apesar de ganhos em NY

Os contratos futuros de açúcar refinado encerraram negativos na terça-feira na bolsa de Londres, Liffe, mas não recuaram tanto como era esperado, depois do forte declínio de ontem na bolsa de Nova York, CSCE, quando a Liffe ficou fechada por causa do feriado bancário no Reino Unido. Brokers disseram que se o agosto tivesse seguido as perdas de ontem na CSCE, teria operado em cerca de US$ 207,20, queda de US$ 6,30/t.

No entanto, o contrato encontrou suporte nas compras de tradings e perdeu US$ 4,70/t no início da sessão. O contrato londrino seguiu os ganhos de hoje na CSCE, mas também absorveu grande parte das perdas de ontem na CSCE e fechou em território negativo. O spread agosto/outubro fechou a um prêmio de US$ 4,00/t no agosto. Apesar dos ganhos de hoje na CSCE, traders disseram que o mercado ainda deve ser pressionado por novas liquidações dos fundos.

No lado dos fundamentos, a demanda por demerara continua fraca no físico, enquanto a grande safra tailandesa continua pressionando a CSCE. Grande parte das fixações de preço da indústria russa foram roladas para o julho, o que também é negativo para o mercado, já que a nação é a maior importadora mundial de demerara.

Na Liffe, brokers citaram o interesse de alguns países do Sudeste Asiático a preços em torno de US$ 207,00/t, base julho. O volume final da sessão foi estimado em 7.181 lotes. No fechamento da Liffe, o açúcar para agosto caiu US$ 1,50 a US$ 212,00/t, outubro teve queda de US$ 2,00 a US$ 208,00/t e dezembro recuou US$ 0,60 a US$ 204,00/t. As informações são da Dow Jones.

X