Abengoa propõe acordo com credores para tentar recuperação judicial

Usina da Abengoa em Pirassununga: busca de soluções
Usina da Abengoa em Pirassununga: busca de soluções

A espanhola Abengoa, que controla no Brasil duas usinas de cana-de-açúcar por meio da coligada Abengoa Bioenergia, deverá apresentar na quarta-feira (16/03) pré-acordo para credores.

O acordo com credores é a estratégia da companhia para tentar entrar com pedido de recuperação judicial. A Abengoa, que tem dívida de 3 bilhões de euros divididos entre três empresas, busca uma reestruturação da dívida e recapitalizar o grupo.

A companhia obteve a provação de empréstimo entre 1,5 bilhão e 1,8 bilhão de euros, com pagamento em até cinco anos.

Nesse caso, os financiadores do aporte terão direito a 55% do capital social da Abengoa, que deu como garantia alguns ativos, entre eles as ações da Atlântica Yield. A negociação diminui o valor da dívida antiga para 70% do seu valor nominal, dando direito aos credores de subscrever 35% de participação no processo de capitalização.

Ao final do plano, os atuais sócios teriam direito a 5% do capital social, podendo aumentar sua participação em mais 5%, caso a companhia seja capaz de amortizar nos próximos cinco anos a totalidade do novo financiamento programado.

A apresentação do pré-acordo, em 16/03, será feita por assessores financeiros, Alvarez & Marsal e Lazard, e assessores dos credores, representados por KPMG e Houlihan Lokey.

No Brasil, a espanhola possui 3,5 mil quilômetros em linhas de transmissão operando, além de outros 6,3 mil quilômetros em diferentes fases de desenvolvimento.

X