“A venda direta de etanol é um direito que vem sendo barrado”, afirma Renato Cunha

A venda direta de etanol pelas usinas para os postos, sem a intermediação das distribuidoras, é “um direito intrínseco de quem produz e que vem sendo barrado”, afirma Renato Cunha, presidente do Sindaçúcar-PE, entidade representativa do setor sucroenergético em Pernambuco.

Cunha fez a afirmação na sequência de parecer do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que emitiu nota técnica favorável à venda direta do biocombustível pelas unidades produtoras.

Clique aqui para ler mais sobre a nota técnica do Cade emitida a partir de consulta pública da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Cunha, defensor da proposta de venda direta de etanol pelas usinas, avalia a nota técnica emitida pelo Conselho Administrativo: “o Cade cumpre seu papel em favor do equilibro de mercado, coibindo concentrações que favorecem distorções na competitividade.”

Leia também: 

5 destaques sobre Caldeiras, Eficiência Energética e Bioeletricidade que você precisa conhecer

“O produtor de etanol não quer vender diesel e gasolina, produtos não estão em sua linha de produção”,afirma o presidente do Sindaçúcar-PE.  “[O produtor quer vender] tão somente aquilo que produz.”

Renato Cunha assegura: “quem for mais eficiente levará melhor produto ao consumidor.”

X