A queda do dólar faz produtor produzir mais álcool e menos açúcar

A queda das cotações do dólar deve provocar mudanças nas estratégias das usinas sulcroalcooleiras. De um lado, a redução da rentabilidade das exportações de açúcar é o argumento que faltava para que as usinas que ainda não aderiram formalmente ao acordo com o governo federal para aumento da produção de álcool em 2003 mudem de idéia. No estado de São Paulo, cerca de 30% das usinas não assinaram o acordo formalmente, mas aderiram à proposta.

“Com a queda da rentabilidade das exportações de açúcar é maior a garantia de que essas usinas produzirão álcool ao invés de açúcar”, diz Antonio de Pádua Rodrigues, consultor da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica).

Rodrigues acredita que a previsão inicial da Unica de reduzir em 16% as exportações brasileiras em relação ao volume do ano passado, para 9,2 milhões de toneladas em 2003 serão mantidas. “O cenário mudaria se os preços e a demanda do álcool se tornassem mais atrativos”, avalia o consultor.

X