A planta vertical consolida seu espaço

Menor custo, área ocupada reduzida, instalação racional e em menor tempo, simplicidade na ampliação, versatilidade operacional, alto desempenho, maior qualidade de produtos, baixos consumos de água, vapor e energia. Estes são alguns itens da lista de vantagens das fábricas verticais de açúcar, conceito idealizado pela Planusi Equipamentos Industriais, de Sertãozinho, SP.

A busca por plantas cada vez mais compactas não é novidade. No entanto, é recente a conquista de um projeto capaz de reduzir em 50% a área da indústria. Há 15 anos, a primeira versão da fábrica vertical da Planusi entrou em operação no município de Campo Novo do Parecis, MT. A Usina Coprodia atestou o conceito, posteriormente adotado hoje por 23 usinas no Brasil, uma em Angola e outra na Venezuela.

A planta vertical é um conceito construtivo, que torna a fábrica mais racional. Não existe alteração do processo de produção de açúcar. O modelo permite menor uso de tubulações, além de integrar equipamentos, que são autoportantes, apoiados no solo, de maneira lógica que reduz a necessidade de construção de prédios. O tipo de equipamento é definido antes da construção do local que vai abrigar a fábrica.

De acordo com o diretor de engenharia da Planusi, João Marcos Galvão, a otimização de espaço gera economia na implantação. Os grandes prédios de alvenaria construídos para abrigar os equipamentos não são mais necessários. No conceito da fábrica vertical, adotado inclusive por plantas convencionais, a cobertura e proteção são construídas de conforme a necessidade.

Leia matéria completa no JornalCana 205.

X