A importância do álcool

Em reunião realizada ontem (27/05) na Unica, em São Paulo, o secretário do Meio Ambiente, José Goldemberg, saudou a volta da mistura do álcool na gasolina para 25%: “A qualidade ambiental do Estado tem melhorado muito, em boa parte devido ao álcool, o que me levou a ser contra a redução para 20%, decidida em fevereiro”.

O encontro, que reuniu cerca de 100 pessoas na sede da entidade, foi aberto pelo presidente Eduardo Pereira de Carvalho, que ressaltou a evolução observada no processo da queima da cana, com a aprovação e a regulação da lei, em um trabalho conjunto entre produtores e autoridades. Carvalho também levantou duas questões que preocupam o setor – o processo anárquico de conversão de carros a gasolina para gás veicular e os entraves para a obtenção de licenças ambientais para a co-geração de energia elétrica. “Com a tecnologia atual, temos condições de produzir energia equivalente a meia Itaipu, mas podemos chegar a uma Itaipu inteira com o uso da palha na co-geração.”

No caso da queima da cana, o secretário afirmou que, neste ano, “já fomos além das metas estabelecidas”, num processo sem turbulências. Quanto ao gás veicular, Goldemberg afirmou que conhece o estímulo dado pela Petrobras para a conversão, mas acredita que dificilmente o gás vá emplacar em carros de passeio, diante dos poucos postos de abastecimento disponíveis, sendo mais indicado como substituto do óleo diesel. “Aliás, a conversão, como está sendo feita, é danosa ao meio ambiente, por não contemplar o controle de emissões.”

Para a co-geração, Goldemberg disse que a Secretaria tem buscado ser mais ágil na concessão de licenças ambientais, mas que os interessados na co-geração precisam investir mais nos projetos, para que estes sejam mais completos, facilitando a aprovação.

O secretário do Meio Ambiente ainda mostrou-se entusiasmado com o carro multicombustível, por levar a competição entre produtores de gasolina e álcool, beneficiando o consumidor. “Quero acrescentar que a indústria do álcool tem sido extremamente eficaz, com ganho de produtividade de 3% ao ano, fato único no mundo.”

X