3 fatores que devem interferir na safra 2019/20, segundo Fabiano Zillo, da Zilor

Josias Messias e Fabiano José Zillo

Em entrevista a Josias Messias, Fabiano José Zillo, o diretor-presidente da Zilor Energia e Alimentos, destaca três fatores que deverão interferir na safra de cana-de-açúcar 2019/20.

Fabiano José Zillo foi indicado como Executivo Mais Influente e a Zilor como Usina do Ano em Parcerias Agrícolas – Gestão no MasterCana Brasil. A cerimônia de premiação será realizada na próxima segunda-feira, 29/10, em São Paulo.

Em sua opinião, quais os três fatores que deverão interferir na 19/20?

 

Fabiano José Zillo:

Açúcar com expectativas

“O mercado está se reposicionando um pouco no açúcar. Começou com um cenário muito ruim e agora há uma inversão de expectativas. Quer dizer, acho que não haverá uma grande mudança [na safra], mas já há mudança em curso para a próxima.”

Etanol e armazenagem

“Dependendo do cenário político, e com a Petrobras mantendo a paridade entre o etanol e a gasolina, isso influenciará ainda mais na redução do nível de estoques [do biocombustível].”

Menos cana

“Deveremos ter menos matéria-prima para o setor como um todo. Então em 2019 haverá um novo enxugamento, seja pelo que ocorre no mundo, o etanol aqui no Brasil e uma redução na oferta de matéria-prima em função do impacto [da seca] do início de 2018 e com canaviais mais velhos, o que é uma fragilização registrada no setor. Essa fragilização se deu por conta da política errática de congelamento de preços. Isso vai custar caro agora com a falta de matéria-prima.”

Fabiano José Zillo também comenta mais sobre o mercado.

Qual é o percentual de melhoria do preço médio para a próxima safra?

“Temos que depender cada vez menos da questão do preço. Na verdade, a questão de preço causa impactos junto aos fornecedores. Se a gente não cuidar da originação, da matéria-prima, você irá comprometer o futuro. Esse é o ponto de atenção: como é que nesse momento, quer sejam os fornecedores, quer sejam as empresas, como deveremos fazer para passar essa ponte? Isso porque ainda não se espera nenhum afrouxamento na questão de austeridade. O setor está em modo de sobrevivência, com aumento do endividamento, começa a ter problemas com liquidez, os custos das dívidas aumentam. E também há mudanças constantes de cenário.”

“2019 será um ano desafiador, assim como é 2018”

A Zilor é reconhecida pelas parcerias com os fornecedores de cana. Como a empresa tem lidado nesse período de preços depreciados? Quais as principais ações da companhia para com esses parceiros agrícolas?

“Em momentos de crise você tem que estar mais próximo de todo mundo. Efetivamente significa reconhecer a seriedade e o trabalho deles. A produtividade é o que diferencia. Quer dizer, mesmo em uma situação dramática tem-se que manter o canavial ajustado. Então há esforços de ambos os lados para preservar o futuro. Qualquer represália ao mitigatório só de fluxo de caixa você irá sofrer impactos no futuro. Então quando voltar o preço você não terá cana!

É assim: tem-se que manter a máquina girando e efetivamente e manter essa equação de passagem através da proximidade. A gente se aproxima bastante dos parceiros. Os agentes financeiros percebem essa proximidade e o nível de gestão de custos e de produtividade ajudam a evitar alguma falha. É dessa forma que esperamos passar por essa fase. Mas a cadeia toda está sofrendo.”

 

 

X